Presidente do STF nega pedido do PL para anular parte dos votos no 2º turno das eleições

Presidente do STF nega pedido do PL para anular parte dos votos no 2º turno das eleições

O ministro Alexandre Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, negou nesta quarta-feira o pedido do Partido Liberal para anular parte dos votos no segundo turno das eleições.

O ministro ainda condenou a legenda a pagar uma multa de 22 milhões e 900 mil reais por “má-fé”.

Moraes também determinou o bloqueio imediato dos fundos partidários da coligação bolsonarista até o pagamento da multa.

O PL pediu a anulação dos votos de 279 mil 300 urnas eletrônicas alegando que houve “mau funcionamento” do sistema. Moraes classificou o pedido como “inconsequente”, “esdrúxulo”, “ilícito” e “ostensivamente atentatório ao Estado Democrático de Direito”.

O presidente do TSE afirmou que o PL quis dar munição aos protestos antidemocráticos que têm bloqueados rodovias pelo País.

Moraes disse que a narrativa de fraude nas urnas é “totalmente fraudulenta” e que não há indícios de irregularidades.

Moraes mandou a Corregedoria-Geral Eleitoral apurar se houve desvio de finalidade no uso da estrutura partidária pelo presidente do PL, Valdemar Costa Neto, e pelo engenheiro Carlos Rocha, do Instituto Voto Legal, responsável pelo relatório que embasou a ação.

 

Veja a notícia completa em Rádio Difusora do Paraná